Este site usa cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website concorda com o seu uso. Para saber mais leia a nossa Política de Cookies.

Portimão assume ser uma referência no âmbito das festividades natalícias
Notícias

Portimão assume ser uma referência no âmbito das festividades natalícias

Em entrevista ao Correio da Manhã, Isilda Gomes, presidente da Câmara Municipal de Portimão, diz mesmo que este é já um evento de referência não só regional, mas nacional. Como desejo, apela a que haja entusiasmo e alegria, mas também segurança, com o cumprimento das atuais normas sanitárias.

Uma vez mais apostam na dinamização do concelho de Portimão na época de Natal. Que balanço fazem da última edição?

O município de Portimão assumiu, em 2019, ser uma referência a nível regional e nacional, no âmbito das festividades natalícias. Para substanciar esse propósito, desenvolveu e trabalhou um conceito, considerando a realidade da cidade de Portimão, com vista a ser criado um “parque temático alusivo ao Natal” com atrações, de que são exemplos a Casa do Pai Natal e a pista de gelo, a realização de espetáculos, muitos de cariz infantil, e outras atrações dirigidas às famílias.

Esta aposta revelou-se um sucesso, tendo o evento “Portimão, A Magia Natal – “Nunca Houve um Natal Assim” recebido mais de 100 mil visitantes, além de milhares de notícias e largas dezenas de milhares de publicações nas redes sociais, sendo unânimes as impressões positivas de quantos tiveram a oportunidade de desfrutar desta forte aposta camarária, que incidiu na inovação e na diversidade e fez a diferença na região algarvia.

Do programa disponível para a edição de 2021, o que mais gostaria de destacar?

Sobretudo a experiência que o mesmo proporciona às pessoas e a possibilidade de viverem o brilho e o sonho do Natal, que não esquecerão tão cedo. Temos iniciativas programadas que pretendem alcançar um leque muito eclético de pessoas e de gostos, dos mais novos aos mais velhos, e muito focado nas famílias.

Tenho muita expectativa na inauguração prevista para o dia 1 de dezembro, nomeadamente com a chegada do Pai Natal, que foi pensada para ser criada tendo em conta as nossas tradições, uma vez que este vai chegar pelo rio Arade, a bordo de uma “enviada”, uma embarcação típica da pesca da sardinha, que no decorrer deste ano passou a ser propriedade do município, fazendo parte integrante do espólio do nosso Museu de Portimão. Depois, temos o Mercadinho de Natal no icónico Jardim 1º de Dezembro, a pista de gelo, o Palco Natal, o presépio com figuras em tamanho natural, ou as diversas paradas e desfiles, não esquecendo a Casa do Pai Natal, onde os mais novos poderão ter aquele encontro mágico com a figura maior desta época tão festiva.

Até que ponto estas ações terão impacto no dinamismo do comércio e turismo local?

A parceria que conseguimos estabelecer com o grupo Cofina tem justamente esse propósito, no sentido em que o nosso parque temático ”Portimão, Um Sonho de Natal” seja a mais importante iniciativa desta quadra no Sul do País, atraindo em segurança e no âmbito das medidas sanitárias em curso muitos visitantes, estimulando dessa forma o incremento da atividade económica local.

Que expectativas têm relativamente ao número de pessoas que irão interagir com estas iniciativas?

Acima de tudo, queremos que quem nos visita o faça em segurança. Todas as iniciativas e o evento no seu conjunto foram planeados em estreita colaboração com a Proteção Civil, respeitando-se o estipulado em termos das atuais premissas em vigor de prevenção à pandemia. Estamos preparados para, nos 37 dias de Sonho de Natal, recebermos mais de 100 mil pessoas, evitando aglomerações e grandes concentrações.

As iniciativas terão mais impacto junto dos turistas e visitantes, ou da população residente?

Estão pensadas para os dois públicos, uma vez que os valores do Natal são universais.

De que forma o concelho está a regressar a uma nova normalidade?

Cumprindo ao máximo o que a nova normalidade nos impõe. Somos um município turístico, ao qual os confinamentos causaram graves prejuízos económicos e sociais. A própria autarquia criou programas específicos de apoio aos mais fustigados pela pandemia. Nos últimos meses, com o retomar da atividade turística, foi possível “respirar” um pouco melhor, houve hotéis por exemplo que registaram taxas de ocupação muito altas em outubro, o que quer dizer que quem nos visita sente-se seguro aqui.

Quais os grandes desafios que o concelho tem vindo a enfrentar nos últimos tempos?

O combate à pandemia implicou um investimento superior a 10 milhões de euros. Por outro lado, temos vindo a recuperar os espaços públicos da cidade e a preparar um novo ciclo de obras e investimentos, que terão início nos próximos anos e irão permitir novas vivências aos portimonenses.

Que mensagem gostaria de deixar aos habitantes de Portimão?

Gostava de os convidar a viverem em pleno o Sonho de Natal de Portimão, mas com total segurança, no cumprimento das atuais normas sanitárias, associando-se e participando com entusiasmo e alegria nas diversas iniciativas previstas.


Partilhe nas Redes Sociais